Help Find My Brother

Help Find My Brother

A poucos dias atrás, enquanto lia Surfermag.com para notícias, e fazendo alguma pesquisa para o New York Times sobre sobreviventes do Tsunami, encontrei o post que Tanner no Reef publicou sobre Marcelo Bengoechea. O irmão de Marcelo, Fernando Bengoechea, um conhecido fotógrafo de Nova Iorque e um viciado em viagens de aventura, desapareceu no Sri Lanka depois de ter sido literalmente atingido enquanto dormia no seu bungalow no Hotel Stardust na Baía de Arugam. Como muitos de vós devem saber, Fernando estava hospedado em Arugam, um lugar com uma excelente série de ondas à direita, com Nate Berkus – o decorador de interiores favorito de Oprah Winfrey.

Aqui estão excertos da conversa. Marcelo, a propósito, é o director criativo da Reef Brasil. Se alguém lesse isto está no Sri Lanka, e pudesse ajudá-lo a encontrar o seu irmão, com certeza que faria um longo caminho para trazer alguma paz a um tipo simpático e a uma família extremamente perturbada… Chris Dixon

De Marcelo Bengoechea:

“Fernando, ele é fotógrafo de moda e vive em Nova Iorque. Faz fotografia de interiores e de localização. Ele é muito conhecido. Também já fez muitas fotografias de estilo de vida para o Reef. Não o rabo da rapariga, mas as fotografias do produto”

“Ele esteve no Sri Lanka hospedado no Hotel Stardust na Baía de Arugam. O local é muito conhecido e tem uma excelente onda à direita. Um dos últimos números da Transworld Surf diz “Big Sri Lanka”, e eles falam sobre esse lugar em particular. O website do resort é www.arugambay.com.”

“Ele estava numa viagem de férias. Ele não é um surfista tão duro como eu – por isso não tem de levar uma prancha com ele para onde quer que vá, mas se houvesse ondas, tenho a certeza que estava a surfar”

“Ele planeou estar no Sri Lanka no Natal e Ano Novo. Não tenho a certeza se ele já lá tinha ido antes. Ele tem sido fotógrafo e aventureiro – viajou extensivamente para locais muito remotos. Não conheço ninguém que tenha viajado mais do que o meu irmão, e conheço muitos surfistas. Ele tem tantas milhas aéreas livres, que ia sempre a lugares”

Quando lhe perguntaram o que Nate Berkus lhe tinha dito, ele respondeu:

“Na verdade, falei com Nate. Eles foram arrastados pela onda juntos. Da sua própria boca, ele disse-me que tinham sido acordados na água. Estavam alojados num bangaló mesmo na praia. Foram atingidos primeiro e foram varridos, e entre a primeira e segunda onda, houve um lapso de cerca de 20 segundos e conseguiram agarrar-se a um poste telefónico. Pensaram, “acabou, acabou”, e foi aí que a segunda onda os atingiu. Nate conseguiu subir para um telhado e o meu irmão foi arrastado para a lagoa e para a zona da selva”

“O hotel estava numa faixa entre o oceano e a lagoa. O meu irmão foi arrastado para a lagoa e esta foi a última vez que foi visto. O seu amigo teve a sorte de ter estado numa zona com um telemóvel internacional e puderam iniciar uma busca”

“As autoridades estão à procura de todas as pessoas que possam encontrar vivas. Contactei uma pessoa que estava à procura exclusiva do meu irmão. Ele está na área a fazer isso. A busca só acontece durante o dia. Não há energia, não há electricidade, não há luzes e não há comunicação. O tipo tem um telefone por satélite e eu estou a fazer todo o tipo de pesquisa na Internet. Estou a colocar o máximo de descrições que posso. Fui à CNN e eles trabalham em todo o mundo. É por isso que também coloquei o anúncio no Surfista. Talvez os surfistas internacionais que estão na rede, ou que já lá estiveram… Estou apenas a estender a mão aos surfistas. Presumo que talvez até se tiver uma prancha de surf nessa área reme e procure o meu irmão. Estou apenas a estender a mão ao maior número de pessoas possível”

Quando perguntado como é que ele e a sua família se estavam a aguentar, ele respondeu:

“É duro. Estando tão longe, não há muito que se possa fazer para além de ver televisão e Internet. Todos nós vimos da Argentina. A minha família está lá. Eu tenho uma irmã e outro irmão, mas Fernando é um cidadão americano, o que ajuda na busca. Estamos todos em contacto, tanto quanto possível. Acreditamos nele. Conhecendo Fernando – ele é um grande atleta – surfista, instrutor de mergulho. Fisicamente, ele é capaz de fazer o que for preciso. Ele já esteve em locais remotos e foi feroz várias vezes. Acreditamos que se ele não morresse do poder da onda, poderia estar perdido na selva e incapaz de comunicar. Ele é forte, inteligente e conhece suficientemente bem as técnicas de sobrevivência para poder sobreviver na selva. Essa é uma área isolada. Não há nada por lá. Por isso temos todos os motivos para ter esperança”

“É uma história louca quando se conhece alguém que já esteve nessa situação. É inacreditável. Ainda não acredito””

Se alguém tiver alguma pista, o e-mail de Marcelo é: [email protected] Caso contrário, envie uma oração à sua maneira.

Vá ao tópico do Quadro de Mensagens de Surfermag.com sobre Fernando.

Um Artigo de NYTimes sobre Vítimas, incluindo Fernando
Sai da Pista, e no Caminho do Desastre CLIQUE AQUI.

O Blog Fernando e Nate
Informação Mais Actualizada CLIQUE AQUI.

p>Vá ao tópico “À Procura do Surfista Josh” no quadro de mensagens do Surfermag.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *